.html> Agroinsumos - Insumos agropecuários - Algodão, IAC 24, IAC 25 RMD, monsanto, algodão stoneville, algodão tecnologia bollgard
 

 

 

 

 

 
 

Principais Cultivares:

1- IAC:
1.1- IAC 25 RMD: O uso desta cultivar visa  minimizar o problema de doenças na cultura, diminuir os riscos e os custos de produção, reduzir as agressões ambientais e desequilíbrios biológicos, conferindo estabilidade à produção e aceitabilidade da matéria prima.
 
2 - Monsanto:
2.1- Algodão Roundup Ready: Algodão tolerante aos herbicidas à base de glifosato utilizado no controle de plantas daninhas que interferem diretamente no desenvolvimento da cultura do algodão, podendo comprometer sua qualidade, concorrendo por água, luz e nutrientes, causando perdas em produtividade.
2.2- Algodão Tecnologia Bollgard®, uma importante ferramenta da biotecnologia que vem transformando as lavouras de algodão ao redor do mundo e já está aprovada no Brasil. Redução no uso de inseticidas e agrotóxicos, menor custo na produção, economia de água e melhores resultados.
 
3 – EMBRAPA
ALGODÃO BRANCO
3.1 - CNPA ITA 90: Com essa cultivar os produtores do cerrado tem obtido as mais altas produtividades, com rendimentos médios de 300 @/ha, podendo chegar, em algumas lavouras, a até 400 @/ha. O seu rendimento de fibras está em torno de 30 a 39%, além de apresentar excelentes características tecnológicas de fibras. Possui resistência moderada a ramulose, mancha de ramularia e pinta preta. É medianamente susceptível a bacteriose e altamente susceptível a viroses (doença azul, vermelhão  e mosaico comum).
3.2 - BRS IPÊ: Esta cultivar apresenta em media produtividade equivalente ou até 10% superior a CNPA ITA 90 e ciclo igual (170 a180 dias), obtendo melhor desempenho nas regiões de chapadões de altitude (até 1.100 m). Apresenta rendimento de fibras de 38%. Apresenta tolerância a ramulose , bacteriose, mancha de Alternaria  eRamularia e viroses. Deve ser manejada como uma cultivar sensível a viroses.
3.3 - BRS AROEIRA: Apresenta ciclo normal (160 a 170 dias) e  possui boas características de fibras. Sua grande vantagem está na resistência múltipla a doenças, por apresentar resistência a ramulose , viroses , mancha de stemphylium, além de tolerância a bacteriose, manchas deramulária , alternária e ao complexo fusarium-nematóide. Com essas características pode ser indicada com vantagens para o cerrado de Goiás e Mato Grosso do Sul, inclusive nas áreas com infestação defusarium-nematóide.
3.4 - BRS SUCUPIRA: Cultivar de algodoeiro indicada para os cerrados de Mato Grosso e Bahia, por apresentar resistência múltipla a doenças e alta resistência a veranicos e solos de baixa fertilidade, inclusive arenosos. Apresenta resistência múltipla a doenças, incluindo viroses ,ramulose e bacteriose, além de tolerância as manchas de ramulária,alternária e a seca.
3.5 - BRS CEDRO: Cultivar de alta produtividade (até 310 @/ha) e alto rendimento de fibras (40 a 41%). Apresenta, também, resistência a viroses e tolerância a ramulose, ramularia e bacteriose. Possui ciclo longo, porte alto e alta resistência de fibras. Cultivar adequada para produtores altamente tecnificados.
3.6 - BRS 187: Variedade dealgodão indicada para o Nordesteapresenta alta produtividade e boa tolerância à seca, com rendimento médio de 2 mil kg/ha em sequeiro, podendo chegar a 4.500 Kg/hásob condições irrigadas. A cultivar possui ciclo médio (140 dias) eapresenta resistência a virose (doença azul) e a Alternária. Possui tolerância à ramulose e bacteriose e é suscetível à ramulose.
3.7 - BRS 201: considerada de ciclo médio, tendo 135 dias do plantio acolheita. Em sequeiro possui rendimento próximo a 2.000 Kg/há e em condições irrigadas pode atingir mais de 3.000 kg/ha. A BRS 201 apresenta resistência à bacteriose, viroses, tolerância à ramulária eStemphylium e é suscetível à Alternária.  É uma cultivar de fibra média (28 mm - 30 mm), com alta percentagem de fibra, 40% em média.
3.8 - BRS 269 – Buriti: Em condições de cerrado apresenta excelentes produtividades de algodão em caroço e em pluma, com porcentagem de fibra geralmente superior a 40%, destacando-se sua excelente resistência. O padrão de fibras da BRS 269 Buriti atende as exigências dos mercados interno e externo. Possui excelente reação às principais doenças de ocorrência e condições de cerrado, sendo medianamente resistente a mancha angular; ao mosaico da nervura, mosaico comum, ramulose, ramulariose e ao complexo Fusarium oxysporum f. sp. Vasinfectum – Meloidogyne incognita e medianamente susceptível a alternariose.
3.9 - BRS 293: No cerrado destaca-se, principalmente, em condições de altitude, acima de 850 m, na qual obteve-se excelentes resultados de produtividade de algodão em caroço e em pluma. Medianamente resistente a mancha angular, viroses (mosaico da nervura e mosaico comum), ramulariose e ramulose e medianamente susceptível ao complexo Fusarium oxysporum f. sp. Vasinfectum – Meloidogyne incognita/Rotylenchulus reniformis.
3.10 - BRS 286: Em condições de cerrado apresenta excelentes produtividades de algodão em caroço e em pluma, com porcentagem de fibra geralmente superior a 40%. Possui níveis adequados de resistência às principais doenças de ocorrência em condições de cerrado e semi-árido. Sendo resistente à mancha angular, mosaico das nervuras e mosaico comum; é moderadamente resistente a ramulariose e medianamente susceptível a ramulose e ao complexo Fusarium oxysporum f. sp. vasinfectum – Meloidogyne incognita/Rotylenchulus reniformis.
 
ALGODÃO COLORIDO
3.11 - BRS RUBI: Sua fibra possui uma cor marrom escura ou marrom avermelhado. Em regime de sequeiro, na região Nordeste, seu rendimento pode chegar a mais de 3.500 Kg/ha. A BRS RUBI poderá ser plantada em outras regiões além do Nordeste, contudo deve-seescolher para o plantio áreas livres de doenças, pois a cultivar é suscetível à maioria delas.
3.12 - BRS SAFIRA: Sua fibra possui uma cor marrom escura ou marrom avermelhado, porém em tonalidade mais clara que a fibra da BRS RUBI. Em regime de sequeiro, na região Nordeste, pode produzir até 3.000K g/ha caso as precipitações sejam normais e bem distribuidas. A BRS SAFIRA poderá ser plantada em outras regiões além do Nordeste, contudo deve-se escolher para o plantio áreas livres de doenças, pois a cultivar é suscetível à maioria delas. A cultivar BRS SAFIRA apresenta resistência ao pulgão do algodoeiro.
3.13 - BRS VERDE: A BRS Verde é uma cultivar de algodoeiro herbáceo que apresenta fibra na cor verde. Em condições de sequeiro seu comportamento em termos de rendimento pode chegar a 3.000 Kg/ha caso a precipitação seja normal e bem distribuida, na região Nordeste. Esta cultivar pode ser plantada em outras regiões, além do Nordeste, mas para isso deve-se ter precaução quanto às doenças , evitando-se áreas livres destas, pois a cultivar é suscetível à maioria delas.
 

 

Época de Plantio (Região Sudeste):

1º de Outubro a 10 de Novembro.

Observações:
Para obter informações sobre calagem, adubação, tratos culturais e fitossanitários, entre em contato com o nosso departamento técnico.

 
 
 

 


 

<.html>